As conversas de Miuccia Prada e Elsa Schiaparelli

Finalmente estive na exposição “Impossible Conversations”, exposição que gira em torno da simulação de uma conversa entre Miuccia Prada e Elsa Schiaparelli, no Metropolitan Museum of Art, em Nova York. Fantásico, genial! Cheguei a dar risada sozinha assistindo os vídeos e me arrepiei ao ver as peças expostas.

Duas estilistas de épocas muito diferentes, Elsa (1890 -1973), e Miuccia Prada que segue criando peças fantásticas para marca que herdou, discutem sobre a vida e a moda em vídeos montados por Baz Luhrmann.

As duas nasceram na Italia, Schiaparelli em Roma em 1890 e Prada em Milão em 1949. As duas eram de famílias antigas e conservadoras e as duas foram as ovelhas negras da família desde muito cedo. Schiaparelli chocou seus pais ao escrever poemas sobre sexo e conseguir um trabalho como babá em Londres.

Elas iniciaram suas carreiras tarde equase por acidente. Morando em Paris e sem conseguir achar roupas que apeteciam seu lado teatral, Schiaparelli começou a fazer suas próprias peças. Miuccia Prada, depois de herdar o negócio de bagagens da família, começou a desenhar bolsas, depois sapatos e todo o demais.

A exposição foi toda inspirada pelo artigo de Miguel Covarrubias para a Vanity Fair, em 1930, chamado “Impossible Interviews”, que mostrava conversas entre as celebridades da época. Em uma das conversas montadas, Schiaparelli discutia moda com o truculento Stalin (imagina que engraçado)!

O diretor dos vídeos, Baz Luhrmann quis mostrar como duas mulheres tão diferentes exploram temas tão parecidos ao criarem suas coleções. Fiquei de cabelo em pé ao ver as peças das duas, lado a lado no museu e como as criações da Prada se parecem com a moda de Schiaparelli. Sapatos, colares, terninhos, vestidos, chapéus, as duas não se importavam com tendências e criavam sem se importar com a reação da mídia ou do público e tudo isso você vê através das 100 pecas de roupas e 40 de acessórios das duas estilistas  expostas no museu.

O material está dividido em 7 galerias mostrando as seguintes tendências: “Waist up/Waist down“, “Ugly Chic“, “Naif Chic“, “The Classical Body“, “The Exotic Body“, e “The Surreal Body“. Como um exemplo das ideias controversas das duas, a exposição mostra com peças reais o fato de Schiaparelli dizer que as mulheres que admirava na sua época eram encontradas em restaurantes e cafés sentadas as suas mesas e por isso a estilista considera mais importante a roupa que se vê da parte de cima do quadril o waist up. Já Prada que viveu a era hippie e a revolução sexual, foca mais na parte de baixo do corpo da mulher, waist down.

Eu sabia que a exposição no The Metropolitam Museum of Art  seria maravilhosa, só não pensei que veria tanta coisa interessante como o chapéu em forma de sapato de Elsa e o tênis em forma de Cadillac de Prada.

“Eu nunca pensei que as pessoas gostariam de usar roupas com macacos e bananas. Me fez entender melhor as pessoas e o quanto estão dispostas a ousar. Moda ė uma incrível ferramenta para entender as pessoas, para entender o mundo”, diz Prada em uma das muitas conversas da exposição.

Post criado 2

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo